quinta-feira, 24 de maio de 2012

Café de Freezer

Para quem adora um café espumante e rápido.
Bater na batedeira:
01 pacotinho de café solúvel de 50g
150g de açúcar GLAÇUCAR
50 ml de água - misture tudo e
bata na batedeira até essa mistura crescer, ficará como um sorvete cremoso  bem firme.
guardar em pote no freezer. não congela.
Para preparar o café: coloque essa mistura a gosto em uma xícara, acrescente água fervente ou leite quente e misture. Se preferir café gelado, bater essa mistura com leite gelado no liquidificador. fica ótimo.

2012

domingo, 13 de maio de 2012

BRINCAR DE VIVER




BRINCAR DE VIVER
Guilherme Arantes
Quem me chamou
Quem vai querer voltar pro ninho
Redescobrir seu lugar
Pra retornar
E enfrentar o dia-a-dia
Reaprender a sonhar
Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde sim
à sua imaginação
à arte de sorrir
Cada vez que o mundo diz não
Você verá que a emoção começa agora
Agora é brincar de viver
Não esquecer
Ninguém é o centro do universo
Que assim é maior o prazer
E eu desejo amar
A todos que eu cruzar
Pelo meu caminho
Como eu sou feliz, eu quero ver feliz
Quem andar comigo,
Vem...

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A morte, surda, caminha ao meu lado E eu não sei em que esquina ela vai me beijar


Canto Para A Minha Morte

Raul Seixas

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar


Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar

Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida

Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas... Um acidente de carro.
O coração que se recusa a bater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...



(Magnífica, a única verdade da vida)

Pimenta, maçã e canela.

Para uma porção:
1 maçã com casca e partida em pedaços, sem sementes
20121 colher de chá de mel karo ou outro de sua preferência
2 colheres de sopa de água
meia pimenta vermelha picada sem sementes
2 colheres de chá de canela em pó
coloque em refratário e misture bem, leve ao micro ondas por 6 minutos. É um doce para  ser saboreado quente!

Maristela G Salgado


quarta-feira, 2 de maio de 2012

Vontade vaidade e preguiça

Vontade de ser, mas não se esforça para ser.
Vaidosa, quer ser, mas tem preguiça de ser.
Vivendo no mundo  imaginário por ela construído, é fácil ser.
Difícil é pegar esta vontade e fazê-la ser.
Risca e rabisca todo dia um novo começo.
Lá vai mais uma vez e outra vez, ainda não foi dessa vez.
A preguiça é mais forte, sonhar é mais fácil.
Mas agora jura: Dessa vez sai do papel, planos, conquistas e superações! 
Nasce o novo dia, abre a  janela, o sol brilha, a vontade explode!
Agora já é meio dia, meia vontade e meia preguiça, ainda não findou o dia!
O sol está se pondo, que tragédia, mais um dia se foi!
Mas amanhã há de ser tudo novo, tudo diferente, amanhã sai do papel, jura...
Enquanto risca e rabisca novos planos, sonha acordada, cheia de vontade...
Cheia de vaidade, espreguiça uma preguiça, amanhã, ela jura...

Maristela G. Salgado