sábado, 2 de fevereiro de 2019

SAUDADES ETERNA

AOS QUE PARTIRAM..
. 
 Fotografia - ED SHEERAN

Amar pode doer
Amar pode doer às vezes
Mas é a única coisa que eu sei
Quando fica difícil
Você sabe que pode ficar difícil às vezes
É a única coisa que nos faz sentir vivos



Nós mantemos este amor numa fotografia
Nós fizemos estas memórias para nós mesmos
Onde nossos olhos nunca estão fechados
Nossos corações nunca estiveram partidos
E o tempo está congelado para sempre

 
*17/01/1958 - + 06/06/2002

* 09/04/1956 - +26/12/2007


*25/10/1964 - + 25/10/2018
Então você pode me guardar
No bolso do seu jeans rasgado
Me abraçando perto até nossos olhos se
encontrarem
E você nunca estará sozinha
Me espere para voltar pra casa

2011

1973

2008

2011
 Amar pode curar
Amar pode remendar sua alma
E é a única coisa que eu sei
Eu juro que fica mais fácil
Lembre-se disso com cada pedaço seu
E é a única coisa que levamos quando morremos


2006
Nós mantemos este amor numa fotografia
Nós fizemos estas memórias para nós mesmos
Onde nossos olhos nunca estão fechados
Nossos corações nunca estiveram partidos
E o tempo está congelado para sempre

?

2014


 Então você pode me guardar
No bolso do seu jeans rasgado
Me abraçando perto até nossos olhos se encontrarem
E você nunca estará sozinha


E se você me machucar
Tudo bem, querida
Apenas as palavras machucam
Dentro destas páginas você me abraça
E eu nunca vou te deixar ir
Me espere para voltar pra casa


   Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa


 E você poderia me colocar
Dentro do colar que você ganhou
Quando tinha 16 anos
Perto das batidas do seu coração, onde eu deveria estar
Mantenha isso no fundo de sua alma


 E se você me machucar
Bem, está tudo bem, querida
Apenas as palavras machucam
Dentro destas páginas você me abraça
E eu nunca te deixarei ir

2014

1972

1972

2012

1968

1982



1964
Quando eu estiver longe
Me lembrarei de como você me beijou
Embaixo do poste na Rua 6
Ouvindo você sussurrar pelo telefone
Me espere para voltar pra casa

1981

1980


1973

1973


 
1973

1975


2007

1970

1970

1966
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa


1979

1980
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa
Me espere para voltar pra casa

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

ARRAIAL DO CABO E CABO FRIO - RIO DE JANEIRO - ABRIL 2016




 


Coisas do Brasil
Guilherme Arantes

Foi tão bom te conhecer, tão fácil te querer
Triste não te ver por tanto tempo
É bom te encontrar, quem sabe feliz
Com a mesma alegria
De no ... vo
Mais uma vez, amor
Te abraçar, de verdade
Há sempre um novo amor
E uma no ... va saudade

Coisas do Brasil, coisas do amor
Luzes da cidade acendendo o fogo das paixões
Num bar à beira-mar
No verde-azul do Rio
De Janei ... ro
Mais uma vez, amor
Te abraçar, de verdade
Há sempre um novo amor
E uma no ... va saudade

Coisas do Brasil, coisas do amor
Luzes da cidade acendendo
O fogo das paixões
Num bar à beira-mar
No verde-azul do Rio
De Janei ... ro

Coisas do Brasil, coisas do amor
Luzes da cidade acendendo o fogo das paixões
Num bar à beira-mar
No verde-azul do Rio

CAPITÓLIO MINAS GERAIS - NOVEMBRO 2017

Todo Azul do Mar
Flávio Venturini




Foi assim, como ver o mar
A primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar
Não tive a intenção de me apaixonar
Mera distração e já era momento de se gostar



Quando eu dei por mim nem tentei fugir
Do visgo que me prendeu dentro do seu olhar
Quando eu mergulhei no azul do mar
Sabia que era amor e vinha pra ficar

Daria pra pintar todo azul do céu
Dava pra encher o universo da vida que eu quis pra mim
Tudo que eu fiz foi me confessar
Escravo do seu amor, livre pra amar
Quando eu mergulhei fundo nesse olhar
Fui dono do mar azul, de todo azul do mar


Foi assim, como ver o mar
Foi a primeira vez que eu vi o mar
Daria pra beber todo azul do mar
Onda que vem azul, todo azul do mar
Foi a primeira vez no azul do mar
Daria pra beber todo azul do mar
Foi quando mergulhei no azul do mar












BÚZIOS - RIO DE JANEIRO - ABRIL 2016


Voilà
Françoise Hardy

Voilà, je regarde les autres
Pourtant je ne leur trouve rien
C'est comme ça
Voilà, je vais avec les autres
Le temps passe plus mal que bien
C'est comme ça
Et toi?
Que fais-tu?
Es-tu content de tout?

Je suis là, devant toi, toujours la même
Oh! Pourquoi est-ce encore toi que j'aime
Que j'aime, que j'aime, que j'aime
Tu es là, devant moi, toujours le même
Oh! Pourquoi ne puis-je pas te dire:
Je t'aime, je t'aime, je t'aime

Voilà, je m'en retourne aux autres
Qui m'aiment et que je n'aime pas
C'est comme ça
Et toi, vas retrouver cette autre
Tu l'aimes ou c'est ce que tu crois
C'est comme ça
Voilà, on n'a rien, rien de plus à se dire

Je suis là, devant toi, toujours la même
Tu le vois, c'est encore toi que j'aime
Que j'aime, que j'aime, que j'aime
Tu t'en vas et plus rien ne vaut la peine
Oh! Pourquoi ne puis-je pas crier:
Je t'aime, je t'aime, je t'aime






ESTÁTUA DE BRIGITTE BARDOT
Bem, eu olho para os outros
No entanto não os encontro
É assim
Bem, eu vou com os outros
O tempo passa mais mal do que bem
É assim
E você?
O que você faz? Você está feliz com isso?



Estou aqui, na sua frente, sempre a mesma
Oh! Por que eu ainda te amo
Eu amo, eu te amo, eu te amo
Você está lá diante de mim, sempre o mesmo
Oh! Por que eu não posso dizer:
Eu te amo, eu te amo, eu te amo

Bem, eu volto aos outros
Que me amam e que eu não amo
É assim
E você, vai encontrar esta outra
Que você ama ou que você acha que ama
É assim
Bem, não há nada, não há nada mais a dizer

Estou aqui na sua frente , sempre a mesma
Você vê, ainda é você que eu amo
Eu amo, eu te amo, eu te amo
Você vai e nada vale a pena
Oh! Por que não posso chorar:
Eu te amo, eu te amo, eu te amo



BÚZIOS

BÚZIOS