sábado, 12 de janeiro de 2013

FINADOS DE VIDAS SEM FIM


Centelha imortal e inteligente a animar o corpo,
Manifesta-se o espírito em sagas de evolução.

A matéria, simples roupa emprestada,
Quando puída, por muito usada,
Faz evolar-se a chama,
De volta aos braços do Criador,
Para repousar de batalhas travadas,
Em paradoxos de ódio e amor.

Restarão saudades guardadas,
Lembranças de bem e de malquerer,
Histórias de vida e quimeras sonhadas,
Retalhos que não se consegue esquecer.

A seara divina é o universo e suas moradas,
por campos de lutas e de redenção.

Faz-se assim equilibrar-se o todo,
Em reciprocidade e igualdade da lei,
Em causa e efeito, em ação e reação,
Em soberana e eterna lição.

O amor, simplesmente; não a vingança.
O perdão, por portal de reparação.
Novas chances, por luz de radiosa esperança,
A fraternidade, por ferramenta de remissão.

Finados são corpos tombados,
Em campos de renovação.
Revivas estão as almas,
Aplicadas em bem aprender a lição.
(Ariovaldo Cavarzan)

 
"Ariovaldo Cavarzan nasceu em Itapira (SP) aos 11 de junho de 1945 . É escritor, poeta, consultor, aposentado (banco Banespa), mora em Campinas.É um dos fundadores e atual diretor presidente da Apabex - associação de pais Banespianos de excepcionais - www.apabex.org.br - entidade fundada no ano de 1985."

2 comentários:

  1. Um belo texto! Amor, perdão, esperança, sentimentos nobres de quem tem nobresa na alma!
    Abraço!
    Sonia

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.